Ser “Alguém” – Crescer e aparecer ou pegue um peixe e o force a subir em uma árvore.

Você está inquieta hoje, o que passa? – perguntou Juan cochichando colocando seus cadernos sobre a mesa da biblioteca, sentando-se ao meu lado após observar minhas pernas que não paravam de balançar e meus dedos fazendo malabares com a caneta. –Estou revoltada, Juan. Revoltada com as injustiça da vida, da sociedade, será que só eu as vejo? – Me debrucei na mesa da biblioteca apoiando meu queixo em cima do livro “O Ócio Criativo” de Domênico De Masi, continuei: olhe para nós, Juan. Estamos bem, não? 20 anos, vida sexual ativa, bebemos quando queremos, transamos quando podemos, somos universitários vindo à biblioteca estudar para as provas… -Falando em provas – Juan me interrompeu -Você teria aí algum resumo de finanças? -Xiu! Não me interrompa!- eu disse um pouco alto demais para uma biblioteca, a bibliotecária me olhou com ar de reprovação por cima dos seus óculos de grau retangulares. –Desculpa…- disse Juan abrindo seus livros na mesa -Enfim, como eu estava dizendo, estamos bem, não? Aparentemente está tudo ótimo, mas eu estava conversando com uma amiga, jovem, bonita, criativa, extremamente criativa, 20 anos e ela me disse que por vezes se sentia fracassada. Veja só, fracassada com 20 anos. Tem tanto jovem foda, Juan, jovens fodas que estão deixando seus talentos de lado para poder se encaixar em um cubo pequeno e mal projetado chamado “ser adulto”. É uma pressão tão grande para se encaixar e ser visto como “Alguém” na sociedade que os jovens estão deixando seus sonhos morrerem apenas para se tornarem operários dessa cidade, sentem-se fracassados por não atenderem às expectativas dessa vida urbana. Tanto potencial, Juan, potencial jogado no lixo. Pegue um jovem cheio de sonhos, coloque-o na sociedade, em dois dias ele sofrerá com a pressão de concluir uma faculdade, arrumar um trabalho que seja considerado por todos “decente”, se for mulher será pressionada a ser mãe. Ele sairá de lá retalhado, sonhos picotados, um desperdício! Ninguém nasce querendo ser advogado, sua faculdade e profissão é definida de acordo com sua classe social que determina se você poderá ou não ter estudo o bastante para entrar em uma faculdade pública como eu e você, ou ter dinheiro o bastante para pagar por uma.  Busca incansável pelo “Ser Alguém”. Sabe, não existe faculdade para alguns sonhos. Me diga, Juan, o dia em que eu me rebelar, o dia em que eu sair por aí sem estabilidade e segurança financeira, só com o meu mochilão, um caderno e uma caneta, o dia em que eu não quiser ter filhos e desejar viver no meio do mato, viajando o mundo do jeito que der, fazendo trabalho voluntário ou pedindo hospedagem em vilas caiçaras, só escrevendo sobre os lugares que visitei. Juan, quando esse dia chegar, você ainda irá me considerar “Alguém”? – perguntei por fim. -Você sempre será “Alguém” para mim, minha amiga, aliás, você só precisa ser alguém para as pessoas certas, as outras ainda não te conhecem.- disse ele

– Rejane Leopoldino

2 comentários em “Ser “Alguém” – Crescer e aparecer ou pegue um peixe e o force a subir em uma árvore.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s