E ela foi essa mulher.

Maria, entenda que como mulheres precisamos assumir uma postura firme, não apenas para sermos devidamente respeitadas e valorizadas nesta terra moribunda, não, definitivamente não apenas, mas para estarmos à frente da família quando os homens fraquejarem diante dos próprios demônios. -disse enquanto trançava o cabelo da filha- Eu como mulher sempre precisei durante toda a minha vida engolir comentários sexistas, reafirmar meus valores, minha inteligência e meus ideais perante a sociedade para conseguir o mínimo de respeito, isso me fez uma mulher forte, independente e que não teme os desaforos dessa vida. Mas veja, seu pai nunca precisou engolir estes desaforos, ele cresceu na sombra do próprio pai e em seu convívio social bastava ter um pênis no meio das pernas para conseguir respeito. Quando eu conheci seu pai, ah… ele era tímido, medroso e acanhado, mas sempre teve bom coração. -terminou a trança e fitou os olhos de sua filha pelo reflexo do espelho- Foi após o casamento que eu percebi que ele precisava de uma presença feminina ao seu lado, uma presença que lhe desse forças e mostrasse como bater de frente com a vida, que lhe mostrasse como se reerguer, ter resiliência e levantar a própria voz. Se hoje seu pai é visto como um grande homem é porquê eu estive ao lado dele desde então.

– Rejane Leopoldino

4 comentários em “E ela foi essa mulher.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s